21 novembro, 2016

Mortágua, que tal comprares uma casa, hem?

Se há imposto mais injusto é o IMI, a meu ver! Isto a propósito de mais uma cartinha daquelas com picotado, com um valorzinho para eu pagar até final deste mês...Eu e mais uns quantos portugueses, verdadeiros acumuladores de património, não tivéssemos nós a triste ideia, no passado, de adquirirmos casa própria.
Já vai na terceira tranche porque o valor anual ultrapassa a pouca vergonha! Significa que eu tenho buéeee património e que devia ficar feliz por isso. Mas eu preferia estar como a deputada Mortágua e a sua irmã que segundo o Correio da Manhã (vale o que vale), uma vive com uma amiga e a outra numa casa de família. Logo estão isentas de pagar IMI. Mas ainda assim, acham-se no direito de mandar bitaites sobre a necessidade e justiça de se aumentar esta taxa! E dizem que a assembleia da república recebeu esta ideia com uma ovação tal e com tantas palmas que até D. José as ouviu no Terreiro do Paço. Mais parecia uma missa da Igreja Universal, numa qualquer sessão de cura.
Passamos uma vida inteira a pagar a casa ao banco, onde além da renda a esta entidade, ainda vemos sair todos os meses das nossas miseráveis contas à ordem,  o imposto de selo (que também tem vindo a aumentar). Apesar de termos pago, aquando da aquisição da nossa casa própria, impostos como o sisa, imposto de selo e sei lá mais o quê! Faltou ainda dizer que também contribuímos e iremos continuar a contribuir no futuro próximo, para a salvação dos bancos... 
Em suma, o IMI é um imposto jus-tí-ci-mo que carrega este povo que já vê o seu ordenado mensal meio gordo a ficar magro, após nos serem retirados mais uns euros em impostos como o IRS e a segurança social. Uma coisa é certa: a treta de que a austeridade acabou... pegou!
Assim, como assim, vou criar o movimento: Mortágua que tal comprares uma casa, hem?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Eu acho que...