12 outubro, 2016

A morte

Ontem foi um dia chato. Depois de deixar o mais pequeno na escola, lá ia eu em direção ao escritório a ouvir a minha rádio de eleição, a M80. Já gostava desta rádio e agora mais que nunca, a Vanda Miranda está lá, com a sua voz doce a dar-nos o bom dia :). Bem, dizia eu, tudo parecia um dia normal quando ouvi nas noticias a morte de mais um GNR...Ainda estava presente na minha memória o dia anterior, a policia de intervenção e restantes agentes da autoridade a tentar acalmar, conter a ira e raiva dos taxistas. Se há coisa que não gosto e não me habituo é a violência.
Quase, quase a chegar ao escritório deparo-me com avisos de transito que não costumam fazer parte, felizmente, do meu dia à dia. Tinha havido um acidente...e grave por sinal. Deparei-me com um carro virado do avesso. Estava literalmente de lado, já sem vitimas (ao menos isso!). Mas também vim a saber que já lá tinham estado umas quantas ambulâncias e carros dos bombeiros a fazerem aquilo que já estão habituados a fazer: a salvar vidas e/ou a levar.....os mortos.
A vida vale realmente pouco. Um dia está-se, no outro dia, nem por isso...
Hoje é dia de chuva, talvez para se chorar os mortos. E ontem foram muitos...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Eu acho que...