Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2016

A Rita dos sapatos vermelhos

Acho que dá uma prenda de NATAL preciosa:


Nota: Parece que este projecto já conta com 3 musiquinhas em português :)

Cacau & mousse

E depois do árduo trabalho de torrar, descascar e depois seguir à risca a receita, ei-las aqui, as mousses servidas no próprio fruto do cacau. Estava divinal!!!


Cacau entre os dedos

Entre outras coisitas, andámos a descascar cacau no fim-de-semana, trazido da nossa última viagem a São Tomé. Primeiro os grãos foram torrados no forno e depois descascados com muiiiiito cuidado. Daqui sai o cacau que moemos na Yammi, amargo como o raio.... Depois disto a nossa imaginação é o limite: mousse, bolos e bolinhos...


Why not #4

A Pipi das Meias Altas voltou! Bastam uns collans e umas meias quentinhas e compridas, et voilá! Dá aquele look super jovem e super sensual. I like it!






























Bipolar, quem? Eu?

No Domingo lá fomos para Lisboa ver as luzes de Natal e matar saudades da cidade onde nasci. Enquanto percorria a capital de carro e chegando a Alcântara, invadiu-me o sentimento do costume: Lisboa é que é, gente gira, cheia de turistas e luz, as casas, os cafés a diversidade na oferta do que fazer. Em tudo o oposto à margem sul, que chegando o inverno, oferece muito poucas actividades. Pois que andei; visitei o MAAT, o Museu da EDP (tudo grátis por ser o primeiro Domingo do mês); devorei um pastel de Belém e depois na Rua Augusta lambuzei-me com o pastel de bacalhau com queijo da serra, acompanhado por um cálice de Porto; senti primeiro o cheiro da castanha assada e depois comi uma quantas bem quentinhas; deslumbrei-me com as luzes que deram ainda mais brilho às ruas da Baixa e aterrámos no Terreiro do Paço onde esgotámos a bateria do telemóvel, nas inúmeras fotos e selfies, junto à iluminadíssima árvore de Natal. Enfim! Só possível em Lisboa. Na volta para casa: Viver em Lisboa? Cr…

Um monstro dentro de casa.

Estou em choque! O meu filho mais novo vira-se para mim e diz:
- Oooooh Mãe! (começou com esta delicadeza de tratamento...). A partir de agora quando eu bater duas palmas é para me dares o pequeno almoço. Quando eu bater uma palma é para vires ter comigo.
Acho que estou a criar um monstro!!!
Faltou acrescentar que ele teve esta brilhante ideia quando o deixei ficar na minha cama, com o meu Ipad e ofereci-me para lhe levar o pequeno almoço à cama.