Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2015

Pôr a mão na massa

Ontem fui à tortura que é como quem diz, fui à depilação. E enquanto soltava os meus gemidos e gritos de dor, a minha esteticista lá falou dos seus clientes do sexo masculino que também sofriam horrores, ali naquela mesma marquesa.
Até aí tudo bem porque eu imaginei que ela se referia aos pelitos que os homens têm nas costas, peito e tal e nas pernas e coiso e tal.
Depois fez-se luz, ela estava a falar dos que tiram os pelos das partes mais intimas. Pronto, lancei logo um monte de perguntas e fiquei a saber que pelas mãos da minha esteticista passam outros membros masculinos que não pernas e costas. E e minha curiosidade crescia a par com as minhas perguntas. Fiquei a saber que há quem peça para tirar as cuecas para que o trabalho fique bem feito. Já sabem qual foi a minha questão, certo? Porque neste aspecto os homens são em tudo igual aos animais? primitivos? básicos? naturais? autênticos? previsíveis? Sim, há muitos que se entusiasmam (!!!), com as mãos dela, por estarem despidos d…

Conversas interessantes no cabeleireiro

Numa ida ao cabeleireiro com os meus rapazes, ouvi uma conversa interessante. Uma senhora que tecia comentários a elogiar a empregada que fazia as limpezas na sua casa uma vez por semana. Blá, blá, que limpava tudo muito bem e que ficava tudo impecável e com um cheirinho muito bom e rebébéu pardais ao ninho...E depois acrescentou que durante os restantes dias só tinha que manter. Só???? Manter? Mas o que é isso? Mas é possivel? Manter? Na minha casa basta um dia para que reine novamente a confusão e a bagunça. Há vezes que a santa da minha empregada ainda está com a esfregona na mão e já andam  os meus ricos filhos a largar pegadas maiores que as dos dinossauros. Manter?? Eu desconheço o que isso seja....

Mini-cozinhas

Eu gosto muito deste blog: fashionismo e foi de lá que buuuusquei estas fotos e ideias inspiradoras:





sábado na praia

O dia começou cinzento, com pouco futuro...
Ainda assim arriscámos e fomos até à praia, uma das muitos que a Costa da Caparica convida a desfrutar. Pouca gente, poucas filas, poucos se atreveram a passar a ponte para ir ver o mar. E afinal a água até estava quente q.b. o suficiente para dar uns mergulhos e derreter um pouco ao sol ora presente, ora escondido nas nuvens. Um nevoeiro apoderou-se da praia mas ainda assim resistimos até a fome começar a apertar e a indicar-nos o caminho para casa. Omeleta de cogumelos com flor de abóbora picadinha, tomates apanhados da horta e um sumo de laranja improvisado. O sábado prolongou-se com outros afazeres mas sempre com réstias de sal da praia colados ao corpo.

boas coisas e outras nem tanto...

Ando com uma carro novinho, do tipo 0 kilómetros, com aquele cheirinho a plástico e estofos virgens.

Lá dentro sinto-me até com menos 10 anos. Basta uma dezena a menos que fico logo mais fresca!!!

A minha vida não mudou muito para que possa mandar vir carro novo, a razão é outra: o meu carro avariou :(

Comecei por mudar o óleo e tal, larguei 80 contos (usa-se muito substituir contos por euros, e uma pessoa tem que acompanhar as tendências...).

Pronto, lá está o meu carro na oficina e saquei este do seguro, Renault Captur e que por acaso foi adquirido recentemente pela Europcar, sendo eu a primeira pessoa a conduzi-lo!!!

Enquanto não chega a conta da oficina, ando toda contente com um carro que parece da Barbie e do Ken. É automático, super prático, laranja e move-se muito bem. O meu marido diz que tem a minha cara, o fofo, o meu marido.


Dia dedicado aos tomates :)

Literalmente hoje foi dia de tomates. Entre outras tarefas caseiras, andei pela horta a escolher os tomates mais maduririnhos. Cherries doces como mel, tomates maça, suculentos e deliciosos. Todos combinam com dias quentes, saladas frescas, pizzas vegetarianas, recheados com mozarella no forninho ou lavados e mordiscados entre os dentes resultando numa doce explosão de sabores do campo que lembram a infância...



colhemos o que cultivamos

Tal como na vida, tento cultivar coisas boas para colher bons frutos...

Estas abóboras não param de crescer e são o resultado de algum tempo dedicado à terra que rodeia a minha casa.

Irão dar um belo frasco de doce e umas belas sopas :)



Sugestão do dia...

Roubado no FB. De quando em quando faço este exercício a mim própria e fico com um riso idiota na cara que só eu sei porquê.

São muitos e bons os motivos...é por aí...

43 não 23

Efectivamente já não tenho 20 anos....
Ontem eu e meu marido fomos ao Nos Alive, os Muse desta vez não me iriam escapar.

Bilhetes comprados à ultima hora, a uma amiguinha do meu filho que apregoava aos ventos facebokianos que tinha uns quantos para vender...

Fui de sandálias, grande erro. Apercebi-me logo desse disparate assim que comecei a olhar para os pés dos milhares de festivaleiros mais habituados a estas andanças que rumavam, como eu, à loucura da música. Vi ténis de todas as cores e raros pés com sandálias, tão frágeis quantos os meus.

Aguentei até às 3 da matina, os Muse foram profissionais, cumpriram a sua missão, contudo não me deixaram extasiada. Numa pontuação de 1 a 10...nota 7.

Mas o que me matou foi a caminhada até ao carro que estava no único lugar disponível, para quem trabalhou o dia inteiro, deixou os garotos com a Tia e correu atrasada para o Festival que já estáva a bombar...

Hoje só me levantei depois das 11 e trabalhei somente à tarde. Foi muito duro...43 anos …

A minha rua

Ontem fui criança mas de vez em quando pisco o olho lá atrás. A lembrar-me da rua onde passava a vida onde a vida foi vivida tão intensamente. Eram miúdas e rapazes, risos e correrias com muito suor, sem metas para cumprir, sem objectivos traçados apenas o prazer total da brincadeira. Incertezas quanto ao futuro mas certezas de que no dia seguinte haveria brincadeira, ali naquela rua, onde tantas aventuras tiveram lugar. Fui policia, fui ladrão, fui princesa e várias vezes casei. Ganhei, perdi corridas, subi e caí das árvores, fui amiga e não tive inimigos. Saltei fogueiras, tropecei nas cordas, apanhei folhas do chão, fiz filmes vários com a imaginação, com muitos actores crianças como eu. Ganhei e perdi guerras várias com espadas de troncos arrancados aos arbustos que rodeavam a minha rua. Rebolei na relva, fiz buracos nas calças e saias nem vê-las. De dia até à noite e quando a fome e sede apertavam, rendia-me ao aconchego do lar porque a rua era a minha casa e os meus amigos a min…

Os Açores

A minha primeira viagem dos Açores foi a primeira de muitas, certamente...

Durante 10 dias saltamos de Ilha em ilha, de barco e de avião.
Aterrámos na Terceira e por lá ficámos 4 dias mais do que inicialmente planeado. Parece que barco que faz a travessia chocou com uma baleia...
O avião levou-nos até ao Faial onde ficámos hospedados numa pensão perto da doca e do famoso bar do Peter's.  Daí, apanhámos um barco até ao Pico. Ah...o Pico!!!. Haverá montanha mais mágica, impressionante, imponente que o Pico?
É realmente fascinante a até mesmo atordoante ver a montanha mais alta de Portugal, lição aprendida na escola há muitos e muitos anos e só agora comprovada com os meus próprios olhos... 
O avião levou-nos de regresso à bonita Ilha Terceira onde tínhamos o avião que nos levaria de regresso a nossa casa e à nossa realidade. 
A saber que qualquer viagem para os Açores é reencaminhada gratuitamente e a pedido prévio, para qualquer outra Ilha à nossa escolha, de avião.