Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2014

RUMO A OLEIROS

Hoje, o prato do dia é rumar a Castelo Branco mais concretamente concelho de Oleiros. Vamos de fim de semana, respirar um pouco do ar que o grande pulmão verde de Portugal tem para nos oferecer. Na aldeia apenas vivem duas pessoas e para beber café são 10 minutos de serra... Da casa de Xisto onde vou ficar, ouve-se o rio que corre lá em baixo. À noite joga-se às cartas, só temos os 4 canais e põe-se a leitura em dia. Os meus putos vão dar cabo da roupa, vão andar molhados de brincarem no tanque, entrar em casa com os pés cheios de terra. Haverá melhor que isto??? Depois tomar uma dura decisão, que praia fluvial escolher entre a grande oferta que existe nesta zona. A da foto, chama-se Praia Fluvial de Fróia, a água é fria mas límpida, num cantinho do paraíso. Para quem não tiver casa, aqui vai esta excelente opção:  http://www.vilardoscondes.com.  Por aqui tudo é bom, até o preço....a comida, os pequenos almoços, as casas lindíssimas e super confortáveis, a proprietária simpatiquíssi…

Arte ataque

Pois, ando numa de pinturas. Sabem como é, isto de vez em quando aparece...esta vontade de pintar móveis velhos. Já perdi a conta às vezes que olhava para uns móveis cá de casa e pensava sempre para comigo: tenho que pôr mãos à obra!!!!
Pronto, lá fui ao Leroy Merlin, comprei uma tinta primária branca, escolho outra tinta verde para dar no móvel, lixas e algumas pincéis de vários tamanhos. Lixei, dei primário, tornei a dar a lixa e dei a tinta verde. Mais lixa, mais pingos que apareceram e não era suposto, mas o resultado final agradou-me. Ganhei um móvel para guardar as roupinhas do meu filho mais pequeno e fiquei muito orgulhosa do meu feito.
E gostei tanto que pintei com o mesmo verde um móvel da casa-de-banho, fui à loja Casa, comprei uns puxadores laranjas giríssimos e apliquei, moí même. 
Este arte ataque tem algum perigo, na medida em que, dou por mim a olhar para todos os móveis com ganas de lhes dar outra cor.

Sophia no Panteão

Para quem gosta de ler e para quem gosta especialmente de ler Sophia de Mello Breyner Anderson, foi sem dúvida uma brilhante e merecida homenagem, escolher como última morada desta Senhora, o Panteão Nacional.

A ela e a quem me apresentou o seu livro a "Fada Oriana" se deve o meu gosto pela leitura....terá sido o meu primeiro livro e acho que comecei muito bem. Seguiu-se o "Rapaz de Bronze", mais tarde já na escola o "Cavaleiro da Dinamarca" e mais recentemente "A Arvore". Este último porque fez parte do plano nacional de leitura da disciplina de Português do meu filho.
Os seus livros infantis/juvenis (se assim se pode dizer) são verdadeiramente mágicos, capazes de nos transportar para mundos longínquos em que o mar, os animais, as flores e as plantas são personagens maravilhosas, ricas. Recordo-me que quando li e "Rapaz de Bronze" fiquei a conhecer um sem número de flores que eu desconhecia.
Ainda não explorei a poesia de Sophia que diz…